domingo, 4 de março de 2012

Relato do meu parto por Vinícius Agrícola


Manhã de domingo, estava eu dormindo num maior sono do mundo quando minha esposa me acorda falando que estava sentindo contrações. Espreguicei-me, olhei para ela, rolei para um lado e para o outro da cama e voltei a dormir. Minutos depois acordei com ela falando novamente que as contrações estavam mais fortes e me deparei com ela toda se contorcendo. Levantei, falei alguma coisa para ela que não lembro no momento (risos) e fui ao banheiro lavar o rosto. Fui para a cozinha e preparei o meu café, voltei para sala, sentei no sofá cama e tomei o café da manhã. Da sala vi minha esposa apoiada na cama balançando a mão (jeito de sentir dor) e prendendo as pernas e no seu rosto a expressão clara de que Mauricio já estava chegando. Puxei a caneta e o bloco de papel que estava sobre o sofá cama e continuei a anotar o horário e os minutos da contração. Falei para Valquíria que seria interessante avisar a Dra. Janaina que ela já estava sentindo as contrações. Prontamente ela concordou, peguei o celular e liguei para a médica explicando o que estava acontecendo. Dra. Janaina pediu que a levasse para o Jorge Valente onde se encontrava uma medica plantonista para examina-la e entrar em contato mediante situação. Fui ao quarto do Mauricio pegai a sacola junto com um monte de coisas arrumei tudo para partirmos para a emergência do Jorge Valente. Tomamos banho, nos aprontamos liguei para os familiares avisando do momento importante que estava por vir peguei as coisas de Kiu e do pequeno e saímos. Descendo as escadas paramos para avisar a nossa querida vizinha Nete que a hora tão esperada já estava perto. Na porta de casa encontramos com Néa, a prima de Kiu, arrumamos as coisas no carro e fomos para o hospital. Chegando ao Jorge Valente ajudei Kiu a descer do carro pois já estava sentindo dificuldades peguei a documentação e fui correndo para recepção fazer a ficha de atendimento. Chegou um segurança informando que eu teria que retirar o veiculo, pois poderia chegar a qualquer momento uma ambulância com algum paciente. Terminei a o procedimento de protocolo e fui estacionar o carro. A espera durou aproximadamente 15 minutos quando chamaram a minha esposa e informando que só poderia entrar ela e um acompanhante, resolvi ficar e deixar Néa acompanha-la. Depois de alguns minutos Kiu me ligou falando que estava com 7 cm de dilatação e que teríamos que ir correndo para o hospital Santo Amaro. A médica plantonista não queria a deixar sair, pois seria muito arriscado então tivemos que assinar um termo de responsabilidade para poder sair. Partir rápido e com todo cuidado do mundo para o hospital Santo Amaro, pois a qualquer momento Mauricio poderia nascer. Chegando ao hospital nos deparamos na recepção com a Dra. Janaina nos aguardando. Fui logo providenciar assinar todos os documentos para Kiu poder subir para sala de parto. Colocaram uma roupa de hospital nela e a colocaram numa cadeira de rodas e ficamos a espera do elevador para subirmos para o 4º andar para o grande momento. Quando chegamos a Dra. Janaina passou por uma porta grande e a partir dali nos (eu e Néa) teríamos que ficar aguardando toda a preparação até o começo do parto. Ela perguntou quem ia acompanhar a mãe na sala de parto e eu assumi logo a minha responsabilidade de pai. A sala de parto normalmente é no 5º andar, mas no período de carnaval estava no 4º andar. As salas do 4º andar não possuem janela para observar o parto. Situação desagradável, pois só eu da família que iria assistir o parto. Chegou uma auxiliar de enfermagem e me conduziu a uma sala para trocar de roupa para eu poder entrar na sala de parto. Me despedir de Néa e lá fui eu. Tudo nos conformes fui andando por um corredor acompanhado pela auxiliar de enfermagem ate chegarmos ao locar de fazer a higienização das mãos e logo depois ficar aguardando sentado num banco em frente à sala de parto. Fiquei ali só imaginando como lá dentro, muitas coisas passaram por minha cabeça. Mas o que eu mais pedi a Deus foi que ele pudesse proteger tanto minha esposa como meu filho. As horas pareciam não passar era um entra e sai de gente na sala e nada de me chamarem. Fiquei imaginando “Será que o parto já começou e esqueceram de mim”, por um momento bateu um desespero e pensei que se isso acontece-se eu iria pirar o cabeção lá no hospital. Mas no mesmo momento eu pensei que eles não seriam tão irresponsáveis a esse ponto e que minha esposa jamais deixaria isso acontecer. Dra. Janaina saiu da sala e me tranquilizou informando que quando começassem eles me avisariam. Passaram mais alguns minutos e pronto me chamaram “Pode entrar pai”. Uma sala grande com 6 médico e minha esposa deitada na cama já em preparo de parto fazendo força quando vinham as contrações e a Dra. Janaina ao seu lado ajudando. Segurei a sua mão e disse que ia dar tudo certo e graças a Deus deu as 12:03 nasceu a minha VIDA Mauricio. Fique e estou todo abestalhado, mas fazer o que coisas de pai. A cada momento agora é só de felicidade e espero que Deus possa me dar muita saúde e muitos anos de vida para poder acompanhar meu filhão em todos os dias da sua vida. Fica ai o relato de um pai que até então não tinha a ideia do que é ser pai; É BOM DE MAISSSS.


5 comentários:

Kary Goinski disse...

Parabens Val....seu filho é lindo...e sua familia muito abençoada....q Deus mande suas bençãos cada vez, mas e que a familia se mantenha sempre feliz e unida, estou ansiosa para saber dos primeiros dias do Mauricio, e tb a sua recuperação....
bjs

Ban disse...

Aêeeeee, que lindão que ele é, que alegria Val.....já vi todos os vídeos e sua calma é impressionante!!!!! Não esquece de ensinar aquela oração linda que diz assim "somos da turma Tricolor, somos a voz do campeão...." kkkkkkk, um graaaaande beijo nesse fofinho.

Mary disse...

Val tem um desafio pra vc lá no meu cantinho, passa lá.
beios

Juliana disse...

Oi Val, oi Vinícius!! Estou aqui até agora me segurando para não chorar, pois minha mãe está aqui na sala e se eu começar a chorar ela não vai entender nada...rs.. Vinícius, parabéns pela sua narrativa, me senti junto em tudo o que você descreveu e a emoção foi muito forte. Estou esperando a Maria Clara e ela está por vir dentre estes dias, por isto estou assim tão sentimental... kkkk. Mas quero parabenizá-los mais uma vez pela bela família que vocês são. Seria muito bom se todas as famílias fossem iguais a vocês. Não sei os outros, mas quando os vejo, é uma sensação tão boa que vocês transmitem de paz, amor, felicidade, união, enfim, vocês são muito bem abençoados por Deus. E que Ele os abençoe sempre e que este meninão seja o orgulho da família mais do que ele já é. E quem sabe um futuro pretendente para a Maria Clara...kkk. beijos e fiquem com Deus. Juliana

Val Agrícola disse...

@Juliana

Oi Juli, obrigada pelo carinho com nossa família.
Desejo que a Maria Clara, venha com muita saúde e encha seu lar de muito amor. Ah quero conhecer a pretendente do Maurício viu, kkk.
Fica com Deus, beijão!

Postar um comentário